NAVALRIA

História

2013

Os navios AmaVida e Queen Isabel são entregues em fevereiro, e batizados em março. As atrizes Sharon Stone e Andie MacDowell são madrinhas, respetivamente, do AmaVida e do Queen Isabel.

2012

Após a conclusão do Douro Spirit, em março, a Douro Azul encomenda mais dois navios hotel à Navalria, Queen Isabel e Amavida. No último trimestre do ano, o operador de cruzeiros adjudica outros dois navios ao estaleiro, Viking Douro II e Viking Porto, que serão concluídos até 2014.

2011

A empresa conquista o seu primeiro projeto de construção de um navio hotel para a Douro Azul – Douro Spirit – um navio inovador, energeticamente eficiente e com um design atrativo, uma forte aposta no luxo, construído em menos de um ano.

2008

A Martifer adquiriu a totalidade do capital da Navalria, dando seguimento à sua estratégia de diversificação de atividades ligadas à construção em aço.
A Navalria conquistou, através de concurso público, o seu primeiro projeto de construção naval: dois ferries para a Transtejo (Lisbonense e Almadense).
Iniciou-se um processo de modernização dos estaleiros, que incluiu a recuperação e requalificação de infraestruturas já existentes, construção de uma nave fabril e aquisição de equipamentos.

Anos 90

Com os desinvestimentos sucessivos na área do mar e das pescas, a atividade de construção de embarcações foi diminuindo. A empresa ultrapassa este período dedicando-se exclusivamente à reparação de embarcações.

Anos 80

Tirando partido da enorme expansão da indústria pesqueira no país, que levou a investimentos na renovação de frotas por parte dos armadores de pesca, a Navalria associou-se aos estaleiros navais de São Jacinto e, desta forma, passou a contar com uma maior capacidade de construção de embarcações em aço.

1978

Fundação da Navalria, um estaleiro vocacionado para a reparação naval. Localizada em Aveiro, a Navalria veio dar resposta às necessidades de reparação e manutenção dos navios pesqueiros da região, nomeadamente da pesca do bacalhau.

PRINCIPAIS PROJETOS